Atualizado semanalmente

Pesquisa

Pesquisa
Anuncie: 2977-6544. O mais eficiente veículo de divulgação. Distribuído e lido em 88 bairros da Zona Norte para um público de 500 mil leitores com circulação às sextas-feiras. Distribuição gratuita em bancas, prédios comerciais e residenciais, condomínios, clubes, imobiliárias, padarias e shoppings. 56 anos de tradição.
 
O que foi notícia na semana
 
Foto: Divulgação


Na última quarta-feira (8) o Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) registrou, às 6h45, a marca de R$ 900 bilhões, o valor que representa o total de impostos, multas, taxas e contribuições pagos pelos brasileiros desde o início do ano para a União, os estados e os municípios. O montante foi arrecadado nove dias antes do que em 2018 (17/05/2018).

Na última quarta-feira (8) o presidente Jair Bolsonaro falou que o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 deve voltar a ser realizado no Rio. E ainda disse que a corrida seria realizada no Rio já em 2020, quando ainda estará em vigor o contrato de São Paulo com a Liberty Media, grupo americano que controla a F-1. O contrato atual vence em dezembro de 2020. De acordo com as gestões do governador João Doria e do prefeito Bruno Covas, ambos do PSDB, desde novembro de 2018, São Paulo atua para renová-lo a partir de 2021. O governo de São Paulo e a Prefeitura da capital paulista divulgaram uma nota conjunta na qual dizem que “desconhecem qualquer obstáculo que possa inviabilizar a renovação do contrato” para manter o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 no Autódromo de Interlagos.

Na última terça-feira (7) o presidente Jair Bolsonaro assinou o decreto que altera as normas sobre o direito ao porte de armas e munições, autorização para transportar arma fora de casa. As categorias que ficam autorizadas a transportar armas fora de casa são político em exercício de mandato, advogado, oficial de justiça, caminhoneiro, colecionador ou caçador com certificado, dono de loja de arma ou escola de tiro, residente de área rural, agente de trânsito, conselheiro tutelar, jornalista de cobertura policial, instrutor de tiro ou armeiro, colecionador ou caçador, agente público da área de segurança pública e entre outros. Consta no artigo 2º do decreto 9.785/2019, que foi publicado na última quarta-feira (8).

Na última quarta-feira (8) a gestão do presidente Bolsonaro (PSL) bloqueou de forma generalizada bolsas de mestrados e doutorado oferecidas pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). O corte pegou as universidades e atingiu, tanto a área de Humanas, quanto a área de Ciências. A gestão do ministro Abraham Weintraub disse não ser prioridade do investimento público. Não há informações da quantidade de bolsas, mas foram atingidos benefícios de cinco programas: DS (Demanda Social), Proex (Programa de Excelência Acadêmica), Prosuc (Programa de Suporte à Pós-Graduação de instituições Comunitárias de Ensino Superior), Prosup (Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições de Ensino Particulares) e PND (Programa Nacional de Pós-Doutorado). No Instituto de Biociência da USP, cerca de 38 bolsas foram cortadas, 17 de mestrados, 19 de doutorado e duas de pós-doutorado. Elas custeariam estudos nas áreas de botânica, ecologia, fisiologia, genética e zoologia.
 
Voltar
 

Veja a capa da edição:

Capa da Edição
Edição da semana

Para anunciar ligue:
2977-6544 / 2950-7919


É proibida a reprodução ou cópia de fotos, matérias, anúncios ou páginas sem a devida autorização.

   2002-2019 ©.